segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

O rio Este está a correr lento...muito lento!

As obras já se iniciaram há quase um ano e as obras ainda não passaram do pequeno troço entre a avenida D. Frei Bartolomeu dos Mártires e a rua Bernardo Sequeira, quando o objectivo é alcançar a Ponte Pedrinha!
O projecto é interessante e, como bracarense, agrada-me esta iniciativa e anseio por vê-la terminada.
A empreitada, que tem um período de execução de 548 dias, foi adjudicada à empresa "Arlindo Correia & Filhos, SA" por 2.348.960 euros e é financiada a 80 por cento por fundos comunitários, no âmbito do programa regional ON 2.
Depois das trapalhadas que envolveram a concessão da empreitada, não se percebe o aparente atraso das obras. Ou será que a dois meses das autárquicas vai, de repente, aparecer tudo feito? Esperemos é que o aparente atraso não acarrete o deslizar do valor inicial da empreitada.
Sabemos como está crítico o sector da construção civil, e como é necessário incentivar o investimento de algumas empresas, todavia o erário público não pode servir de plataforma de salvação...

Os erros têm que ter consequências...

A notícia que informa a intenção da Câmara de Braga de transformar o espaço destinado à piscina olímpica numa espécie de parque aquático, não deixa de se constituir como elemento de uma opção mal pensada e de um dossier mal gerido. Queixas não terá a empresa de construção civil que encaixou 8 milhões de euros do bolso dos bracarenses, para começar a construir uma obra que nunca viria a ser acabada.
Não basta dizer que se reconhecem os erros, é preciso daí tirar consequências.
A posição do vereador Vítor Sousa, na entrevista que hoje é publicada no Diário do Minho, em que rejeita a possibilidade do PS apoiar um independente às autárquicas, reflecte não apenas o 'apego' ao poder, como uma falta de capacidade para perceber que quem comete erros deve retirar-se.
O PS só ficaria a ganhar se soubesse arrumar a mobília... É tempo de alterar os protagonistas, de dar espaço aos novos (e não me refiro a Hugo Pires, fruto da velha facção...), ou o partido corre o risco de perder de vista os seus ideais republicanos.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Bracarografia: Sobre a figura que encima a fonte dos Castelos

Tudo o que possa ser composto ou conjecturado sobre o chafariz denominado dos “Sete Castelos”, colocado destacadamente ao centro do Largo do Paço, irá esbarrar na falta de documentação óbvia sobre a sua contratação e execução. Alguns investigadores bracarenses atribuem a sua autoria a Marceliano de Araújo, não sendo possível averiguar a veracidade desta tese.
Devido a este factor limitativo, muitas têm sido as versões acerca da figura que mais se destaca no conjunto escultórico do chafariz. Recordemos que a iconografia utilizada nesta obra barroca pretende aludir ao brasão de fé do arcebispo D. Rodrigo de Moura Telles (1704-1728), que é representado pelos sete castelos decalcados das armas da família Moura, dos marqueses de Castello Rodrigo.
No chafariz em análise o tanque que se eleva é suportado por seis anjos, que o Livro da Cidade de 1737 apelida de atlantes. O termo atlante, em arquitectura, refere-se a um tipo de coluna antropomorfa onde, no lugar do fuste, se apresenta a forma esculpida de um homem. O nome deste género de estrutura de suporte tem origem na mitologia grega, em que Atlas, o titã que foi condenado por Zeus a carregar o globo terrestre (ou o céu) para toda a eternidade, e que é representado carregando nos ombros um globo de grandes dimensões. É bem possível que a inspiração para a concepção destas figuras tenha provindo destes elementos clássicos, que visavam conferir maior originalidade a estruturas simples de sustentação e elevação. Acrescente-se ainda a atitude pueril das figuras, que parecem divertir-se enquanto sustentam o peso do tanque deste chafariz.
Sejam anjos ou atlantes, estas figuras apresentam-se associadas a cada um dos castelos. Estes castelos, decorando a borda do mesmo tanque, funcionam como bicas das quais brota a água da fonte. Destacados dos outros, ergue-se o último castelo em forma de pináculo ou fuste, típico dos chafarizes construídos no Minho ao longo dos séculos XVI e XVII. Poderá ser meramente uma forma de obedecer à estrutura arquitectónica tradicional dos chafarizes, que faz elevar a última das estruturas acastelada ao centro, salientando nela a cruz dobrada arcebispal, glorificando o Senhor de Braga que a fez construir.
O livro da Cidade de 1737 talvez seja a mais antiga referência a este chafariz, dado que este data de 1723, e descreve esta estátua como sendo «uma figura de pedra vestida a trágica, em pé com uma esfera sobre a cabeça». Relativamente a esta figura, que se assemelha em vestes, feições e tamanho, às restantes seis esculturas associadas aos castelos, surgem duas teses muito discutíveis.
Nem representa Braga nem pode ser uma alegoria da Fama
A primeira tese, e mais divulgada, confunde esta escultura com aquela que representa a cidade de Braga e que se encontra identificada com a figura que encima o Arco da Porta Nova.

domingo, 22 de janeiro de 2012

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

91 anos depois, o 4.º grande de Portugal!

No dia em que se completam 91 anos sobre a fundação da maior instituição da cidade, recordamos a maior conquista alcançada pelo Sporting Clube de Braga, a Taça de Portugal em 1966:

Foi no dia 22 de Maio de 1966 que o Sporting de Braga conquistou um feito memorável na história do clube e da própria cidade. Não mais o Sporting de Braga conquistou este troféu, apesar de ter almejado três presenças em finais da Taça de Portugal das quais saiu derrotado: 1977 contra o Porto, 1982 contra o Sporting e em 1998 contra o Porto novamente. O argentino Perrichon marcou o golo solitário que valeu uma Taça. O prémio a distribuir pelos jogador foi, imagine-se, de 13.200 escudos! Mas mais impressionante que a vitória na final contra o Vitória de Setúbal foi o percurso durante a prova. O Braga eliminou a Ovarense (5-2), o Atlético (3-2), o Lusitânia (3-0 e 3-2), o Benfica de Eusébio que foi copiosamente goleado em Braga por 4-1 e finalmente, para coroar a caminhada, obrigou o campeão nacional desta época, Sporting, a terceira partida na qual o Sporting bracarense saiu vencedor com um golo do inevitável Perrichon. Na final o clube tinha pela frente o quinto classificado da liga, o Vitória de Setúbal, que era também o detentor do trofeu uma vez que o havia vencido no ano anterior com um resultado de 3-1 contra o Benfica. Temível, por isso, o adversário do Sporting de Braga. Para aumentar os receios os arsenalistas, décimos classificados da 1.ª divisão, haviam sido goleados por 7-0 pelo Vitória de Setúbal num jogo a contar para o campeonato. Apesar de tudo os bracarenses mobilizaram-se e foram, em autêntica romaria, ao estádio do Jamor. A assistência contava 35 mil espectadores estando os sadinos em maioria, facto que se compreende uma vez que Setúbal ficava bem mais perto de Lisboa do que Braga, isto para além de toda a imprensa desportiva considerar o Vitória de Setúbal favorito. O povo de Braga, tipicamente minhoto, não deixou de acreditar que poderiam estar perto de assistir a uma tarde de glória para o seu clube. O treinador do Sporting de Braga, Rui Sim-Sim, apresentou os seguintes jogadores em campo: Armando na baliza; Mário, Juvenal, Coimbra e José Maria na defesa; Canário e Luciano no meio-campo; e Bino, Adão, Perrichon e Estevão no ataque. E foram estes os heróis que entraram na história do clube. Quando já faltavam poucos minutos para o final, estando o jogo empatado sem golos, eis que surge o muito esperado golo da autoria do avançado Perrichon. Os bracarenses presentes no estádio rejubilaram. Na cidade de Braga escutava-se o relato. Imaginem-se os saltos de indescritível euforia que cada bracarense terá dado ao escutar: “é golo do Braga”. O jogo chegava ao fim com a sensação de se ter escrito uma página de ouro na história da cidade. O capitão da equipa arsenalista, Canário, recebeu a Taça de Portugal das mãos do próprio Presidente da República, o Almirante Américo Tomás. Depois foi a festa. Na cidade de Braga preparava-se a recepção à equipa. As pessoas sentiam que o feito conseguido era realmente de enorme dimensão. Além da conquista da Taça de Portugal o Braga ganhava o direito de participar pela primeira vez numa prova europeia, a Taça das Taças. Os jogadores do Braga foram recebidos em ambiente de verdadeira euforia, tendo sido trazidos em carro aberto, desde Ferreiros até à Praça do Município, onde foram recebidos solenemente na Câmara Municipal. O ambiente nas ruas era de alegria incontida. Todos os bracarenses acenavam com bandeiras, aplaudindo e gritando. De seguida os jogadores seguiram para a sede do clube, então sediada ainda no Campo da Vinha. Lá seguiu-se mais uma manifestação de homenagem da parte dos orgulhosos cidadãos. Todos os trofeus conquistados pelo clube foram exibidos nas janelas do edifício. Braga demonstrava todo o seu fervor clubístico. Este dia foi, sem dúvida, um dos dias de maior união do povo bracarense. A Cidade Augusta mostrou ao país o imenso orgulho que todos temos por partilharmos esta que é a cidade de todos nós. Mais tarde a equipa fez uma digressão a África onde teve direito, mais uma vez, a recepções calorosas. O prestigio do clube ia-se espalhando. Todos recordam a magnifica visita a Luanda onde o Sporting de Braga pode reviver um pouco do ambiente vivido em Braga. Fechamos este texto recordando palavras de um jornal desportivo, que relatava o feito obtido pelo clube bracarense: “...o momento grande e máximo quando o povo salta para o campo e é enorme o seu fervor contam a vitória do Sporting de Braga na Taça de Portugal. Que mais admirar? A mancha de público que exibe a sua esperança? O salto vibrante de Armando? A presença honrosa do Chefe de Estado a entregar as medalhas e, depois a Taça ao feliz Canário, capitão dos bracarenses? ”. Esperamos, um dia, voltar a reviver estes momentos. Temos estado perto... até de troféus bem maiores do que a Taça de Portugal. Força Braga!

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

O 1º rali de Portugal regressa às festas de S. João

O primeiro rali realizado em Portugal desde Braga até à Serra da Estrela, vai voltar a realizar-se este ano e vai fazer parte das Festas de S. João, à imagem do que já foi no passado.
Esta notícia foi veiculada ontem pelo JN, e recorda a efeméride que aconteceu vai fazer este ano precisamente 100 anos, pois o rali foi promovido em 1912 no âmbito das festas do S. João de Braga.
Esta iniciativa vai contar com a participação de clubes nacionais e internacionais numa prova com passagem por 20 localidades o que está a mobilizar também as autarquias por onde se desenrola o percurso. 
Há 100 anos o militar Norberto Teixeira do Porto conduzindo um Delenay Belleville conseguiu vencer aquele que foi o primeiro rali realizado em Portugal. A prova tinha 500 quilómetros e consistia em dar a voltar á Serra da Estrela regressando a Braga. Este ano a prova contará com a participação de um exemplar do veículo vencedor a prova comemorativas dos 100 anos a realizar este ano integrada nas festas de S.João de Braga.
Uma boa notícia para Braga, que pode ser vir também para promover as Festas de S. João, que têm estado orfãs de promoção e divulgação.

E se o candidato do PS for... Mesquita Machado?

É verdade. Parece que o PSD e o PS estão a sofrer fortes pressões para mudar novamente a Lei autárquica, pondo fim à limitação de mandatos. 
Se assim for, a grande questão pela sucessão de Mesquita Machado nas autárquicas 2013, poderá ficar resolvida no Partido Socialista. Mesquita poderia candidatar-se a mais um mandato e disputar novamente a eleição com Ricardo Rio.

Esta possibilidade põe uma vez mais em questão a democracia portuguesa. Um governo faz e promove, o outro vem e desfaz. Uma assembleia da república vem, discute e aprova, outra distribuição partidária vem e decide alterar...
O mais grave é que os lugares giram em torno dos mesmos, até os filhos e sobrinhos dos anteriores políticos têm lugar cativo nas listas de deputados, nos cargos de nomeação política e demais 'tachos' gerados pela administração pública e autárquica.
A nossa democracia vai fazer 38 anos. A continuar assim, não sei bem quanto mais tempo durará...

sábado, 14 de janeiro de 2012

Todos somos Braga!

Apesar dos leitores do Braga Maior não terem apreciado a preparação da Braga Capital Europeia da Juventude e, eventualmente, estarem cépticos relativamente à forma como irá decorrer, a verdade é que todos os bracarenses apoiam esta grande iniciativa e esperam que tenha sucesso.
Se isto serve de palco de lançamento a certas personalidades ou se a preparação não foi algumas vezes transparente ou profissional, isso são aspectos a rever no campo político e da comunicação social.

Hoje (e sempre) é um orgulho ser bracarense!

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Pousada da Juventude de Real

A futura pousada da juventude, que vai ser edificada no antigo convento de S. Francisco junto à capela de S. Frutuoso em Real, não vai ficar pronto a tempo da Braga Capital Europeia da Juventude.
Algio que já se adivinhava e que nos faz questionar porque não encetou a Câmara o desenvolvimento deste processo, tendo em vista a possibilidade de estar pronto em 2012?

Esperemos que o GENeration LAB, ao contrário deste projecto, possa ainda servir de palco aos eventos da Braga CEJ.

Memória Maior: a Casa dos Coimbras

Aqui está um retrato da memória da cidade de Braga, que nos recorda a primitiva localização da Casa dos Coimbras, que se localizava exactamente no lado oposto da rua. A casa foi demolida em 1906 para permitir uma das grandes revoluções urbanísticas de que Braga foi alvo nesta altura. No local onde está a casa, existia umas escadas que davam acesso à Capela de Santo António dos Esquecidos, demolida em 1921 e que estava acoplada à Capela dos Coimbras. A Casa dos Coimbras foi remontada duas décadas após do outro lado da rua, tendo havido a feliz sensibilidade de não a deixarem desaparecer no meio da febril onda de destruições do passado que grassou na Braga deste tempo. Esta foto foi divulgada pelo Fórum Bracarae Avgvste e atesta a anterior localização da Casa dos Coimbras, bem como o traçado das ruas de cariz medieval que antecederam a constituição da rua D. Afonso Henriques.
Nesta foto é visível, ao fundo da rua o edifício do monumental mirante do antigo convento dos Remédios, que fazia gaveto entre o Largo Carlos Amarante e a rua de S. Marcos, tendo sido demolido no ano de 1906.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Democracia em risco!

Muito se tem discutido sobre défice, crise económica, gastos excessivos e gorduras do Estado. Todavia, vivemos num país que se dá ao luxo de pagar milhares de euros - vários honorários ou pensões - aos mesmos indivíduos por supostos serviços garantidos no passado e no presente.
Fiquei hoje chocado com uma notícia do JN que denuncia as pensões de alguns políticos (entre eles o nosso Presidente da República), vencimentos que acumulam com os seus outros cargos e chefias.
Ora, o Banco de Portugal  é uma instituição do Estado português, tal como a empresa Águas de Portugal, entre outras. Como é possível alimentar luxos pessoais, esbanjando o erário público? Estamos a falar de dinheiro que sai apenas para o bolso de alguns, que partilham os corredores do poder da capital…
E, como é possível, o Estado continuar a pagar pensões vitalícias a ex-deputados, que estão de boa saúde e acumulam cargos e cargos em empresas privadas e públicas? O assunto foi silenciado, mas é preciso que os portugueses acordem e se revoltem.
Se tivéssemos um Estado que não esbanjasse assim os seus recursos, não precisaríamos de sofrer tanto com esta crise económica. Haja coragem para acabar com este estado de coisas, pois, caso contrário, o desencanto pela política e pelos políticos, vai vitimar irremediavelmente a nossa democracia.

O Estado tem alguns deveres – que devem ser bem geridos, mas que não têm que dar lucro – como são:
  • Sáude: garantir o acesso universal a cuidados de saúde
  • Educação: o Estado deve garantir que ninguém deixa de estudar por impossibilidades económicas, facultando o ensino gratuito
  • Segurança Social: o Estado tem o dever de proteger os mais fracos e desprotegidos da sociedade, promovendo a sua instrução e fornecendo os meios para a sua dignidade. Por isso o tecto das pensões não deveria ultrapassar o que o Estado considera como básico e justo (diria eu que 2 mil euros é um bom máximo…)
  • Justiça, obviamente de acesso universal (que é o que a senhora ministra, rodeada de elites preconceituosas, quer destruir...)

Um Estado assim pode pagar pensões de 4 mil euros, ou garantir a acumulação milionária de vencimentos a certos indivíduos?
NÃO!

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

O Jardim começa a florir...

Confesso que ainda hoje me custa a ideia de ter perdido Domingos Paciência para o Sporting. Confesso também que o discurso e a forma como 'mexe' na equipa me deixam pouco entusiasmado com Leonardo Jardim.
Porém, tenho que concordar que lhe desejo muito sucesso e títulos, pois a alegria do nosso treinador é o entusiasmo dos adeptos. Com tantas limitações e lesões, tem sido notável a forma como geriu e soube ultrapassar as dificuldades, com vitórias que entusiasmam e dão confiança no futuro.
Domingo lá estarei!
Bora encher o Axa?

PSD Guimarães quer cidade como 2.º destino do Norte

O PSD Guimarães acusou hoje a câmara local de "não pretender" discutir os números relativos ao Turismo de "forma serena" e reafirma a "legitimidade" de tornar a cidade a segunda com mais turismo no Norte de Portugal. Para os sociais-democratas, é "legítima a ambição de Guimarães em querer ser o segundo destino turístico no Norte de Portugal", considerando ainda que "é na busca deste objetivo que (a autarquia) deve estar concentrada" e "não perder tempo a discutir números que reconhece como verdadeiros", mas que "considera que deveriam ser abordados numa outra perspetiva.

A ambição de ultrapassar os dados de Braga parece ser maior do que qualquer estratégia turística ou que o traçar de objectivos claros ao nível de números de dormidas, visitas turísticas ou proveitos económicos.
Isto sim é bairrismo pouco sadio e falta de estratégia.
Qual é o problema de Braga ter mais turistas ou dormidas, se o município de Guimarães conseguir superar ou cumprir os objectivos que a autarquia e os operadores turísticos legitimamente traçam?
Porque é que o objectivo é ser o segundo destino e não ter 300 mil visitas turísticas ou 80% da lotação média da sua capacidade hoteleira? Se há cidades na região com mais hotéis, com mais locais turísticos, com um registo demográfico mais significativo, qual é o problema?
Que obsessão é esta por Braga??? Não seria mais útil a Guimarães querer beneficiar do sucesso dos vizinhos, criando pacotes turísticos comuns e estabelecendo parcerias a nível cultural?

Cerimónia de Abertura da CEJ agita Braga

Ninguém deve ter ficado indiferente ao mega palco que está a ser instalado no Campo da Vinha e à estrutura gigante que vai surgindo na praça da República.
A cidade já está a 'mexer' o país, com diversas referências na comunicação social, que têm transmitido uma imagem muito positiva da cidade da juventude.
No sábado a RTP e a Porto Canal vão transmitir em directo a cerimónia de abertura da Braga Capital da Juventude e o país vai ficar a saber que a capital do Minho será a primeira cidade portuguesa a acolher este evento.
Esperemos que possa ser uma grande oportunidade para os bracarenses mobilizarem as suas energias, em particular aquelas que possam ser aproveitadas a fim de um progresso mais humano e cultural da nossa cidade.

Os 'boys' voltaram...em força!

Já sabíamos que a palavra de nosso primeiro-ministro já andava pelas ruas da amargura, após ter derrubado um governo sob o pretexto de não se poder pedir mais sacrifícios aos portugueses...ajudando a disparar os juros e a um quase inevitável pedido de ajuda financeira.
Todavia, quando disse que seria diferente no que toca a clientelismos e politicização dos cargos públicos, achei que queria mesmo ser diferente.
A realidade mostra exactamente o contrário... Depois dos 'luxuosos' cargos na Caixa Geral de Depósitos, onde couberam tantos amigos do PSD e CDS, agora é a vez da EDP.
E os salários??? Coro de vergonha ao revelar os números!

Os grupos de poder, restritos, que existem na capital, vão continuar a dividir entre si o 'capital...

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

3.º lugar à vista

O Sporting de Braga entra esta noite em campo com a possibilidade de ascender ao 3.º lugar, igualando o Sporting. Em Aveiro pelas 20h15 podemos estimular ainda mais o jogo do próximo domingo, precisamente com o Sporting do saudoso Domingos Paciência.
É por estas coincidências que o futebol se pode tornar a alma de uma cidade...
É por isto que vale a pena encher o estádio Axa no próximo domingo.
Força Guerreiros!
Força, em particular, Custódio (que tanta alegria nos concedeu)!

sábado, 7 de janeiro de 2012

Braga: o elixir da juventude


A revista Visão dedica uma reportagem da sua edição semanal ao evento Braga Capital Europeia da Juventude. Trata-se de uma interessante abordagem à realidade da cidade, partindo da elevada percentagem de população abaixo dos 35 anos, da oferta cultural e de lazer e até dos reduzidos preços da habitação disponíveis da cidade.
Uma interessante ‘visão’ sobre a cidade, que todo o país vai poder ler e, talvez, querer conhecer!

O turismo da inveja...

Como se não bastasse o futebol, a capela de Santa Maria Madalena ou as velhas rixas do passado, agora é o número de turistas que conduz as discussões na Câmara de Guimarães. Como Braga vem tendo sucessivamente mais do dobro dos turistas desta cidade minhota, criou-se um grave problema institucional…
De facto, Braga tem mais (e melhor…) património, tem uma história mais extensa, mais importância demográfica, económica e administrativa, mais hotéis e dinamismo comercial, mesmo sem uma política cultural devidamente formatada, acaba por ter também mais oferta neste campo. Porém, isso não interessa nada quando a inveja toma conta das ideias e dos princípios de um bairrismo que se transmuta em facciosismo e fundamentalismo.
É natural que Braga tenha mais turistas, dada a diferença de dimensão entre as duas cidades. Mesmo não tendo um plano estratégico para o turismo, mesmo não desfrutando ainda de uma classificação como Património Mundial, Braga teve 262.965 dormidas ao longo de 2011 contra as 129.113 de Guimarães.
Estes números demonstram que, se Braga apostasse seriamente numa estratégia turística, os frutos para a economia e para o desenvolvimento da cidade, poderiam ser ainda mais significativos.
Relativamente à franja de vimaranenses que insiste em fazer analogias com Braga, é caso para dizer "Acordem para a vida!".

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Memória Maior: o Seminário de S.Pedro

Esta extraordinária fotografia foi publicada há uns meses no Fórum Bracarae Avgvste. Qual não foi a minha surpresa de perceber que estava diante de uma foto – a única que conheço – do antigo Seminário de S. Pedro, o primeiro do género na Península Ibérica, fundado após recomendações do Concílio de Trento, em 1572, pelo Arcebispo D. Frei Bartolomeu dos Mártires.
O edifício era monumental (à esquerda na foto), como atesta a cartografia do século XVI e XVIII, que apontam o edifício como o grande vulto do lado sul do Campo da Vinha. A fotografia comprova que o Seminário de S. Pedro ocupava uma área maior que as actuais edificações.
Este seminário foi demolido nos finais do século XIX ou nos primeiros anos da seguinte centúria, tendo o ensino dos seminaristas de Braga passado para o antigo Colégio dos Jesuítas, onde ainda hoje se localiza depois de uma história atribulada de ocupações e usurpações.
Deste edifício só resta a porta principal, de feição renascença, e que se conserva na actual fachada do Seminário de S. Pedro e S. Paulo, na fachada principal voltada ao Largo de Santiago.
Na foto pode comprovar-se também o primitivo lugar da fonte que hoje está no largo Carlos Amarante.

Braga fez o 9º treinador do mundo!

Domingos Paciência foi hoje anunciado pela a Federação Internacional de História e Estatística do Futebol (IFFHS)como o nono melhor treinador do mundo em 2011. Numa votação em que participaram quase uma centena de agentes desportivos, o antigo treinador do Sporting de Braga destaca-se pelo trabalho desenvolvido ao serviço do clube arsenalista, nomeadamente pela final europeia atingida em maio do ano passado, naquele que foi o culminar de dois anos de sonho para os adeptos braguistas. 
Parabéns Domingos! Dia 15 nos veremos outra vez...no Axa!

Confiança aos cidadãos!


Trata-se de uma notícia feliz!
A Câmara Municipal de Braga lançou ontem o concurso de ideias para o projeto de reabilitação do antigo edifício da fábrica ‘Confiança’. Este concurso pretende “recolher ideias diferenciadoras” que devem propor os aspectos orientadores para o caderno de encargos, nomeadamente a promoção da preservação do património e da memória industrial bracarense. As propostas devem ainda alavancar o esforço de regeneração urbana e dinamização económica da zona em que o edifício se encontra implantado, devendo contribuir para um plano de sustentabilidade económica das valências a instalar.
O júri do concurso vai ser constituído pelos vereadores Ricardo Rio, Vítor Sousa e Hugo Pires, e também pela diretora do Museu D. Diogo de Sousa, Isabel Silva, e ainda o administrador da Fábrica Confiança.
O prazo para a entrega de candidaturas é o dia 31 de Janeiro.

PS - Se outra proposta não ganhar, não me importaria que fosse vencedora a proposta do Projecto Braga Tempo, que a imagem recorda.

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

E se Hugo Pires também avançar?

A luta fratricida instalada no seio do PS Braga parece estar longe de terminar. Depois das declaradas candidaturas de António Braga e Vítor Sousa, que vão colecionando apoiantes ou alguma comunicação social, volta a circular o nome de Hugo Pires como potencial candidato à Câmara.
Efectivamente o mais novo vereador do país estará a aguardar os resultados da aposta mediática da Braga Capital Europeia da Juventude, para averiguar se avança ou não para esta corrida. Neste caso a maçonaria e os jotas poderão ter um peso fundamental...

Braga Romana (finalmente) investe na promoção

O pelouro da cultura da Câmara de Braga vai finalmente tentar envolver outros municípios na Braga Romana, dando assim um primeiro passo na promoção de uma iniciativa que já é uma das mais destacadas da cidade.
A Braga Romana já se tornou num dos maiores eventos da agenda anual dos bracarenses. Uma ideia, que tem a originalidade de se referir à época romana, e tem assistido a um aumento notório de adesão da população e das suas escolas e associações, para além de um investimento muito significativo na qualidade dos eventos que promove.
Esta iniciativa tem todos os ingredientes para se tornar num produto âncora para o turismo da cidade, não se percebendo bem porque há tanto medo em Braga de investir em publicidade e promoção. Este tipo de aposta tem um retorno económico inimaginável. Veja-se como Óbidos consegue potenciar actividades como a Vila Natal ou a Feira do Chocolate.

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

As 10 perguntas dos bracarenses para 2012

1.       A Braga Capital Europeia da Juventude vai efectivamente envolver a cidade e os seus jovens?
2.       O Parque do Monte Picoto vai mesmo avançar como apontam os prazos redefinidos?
3.       As margens do rio Este vão ser finalmente devolvidas aos cidadãos?
4.       As obras do antigo quartel da GNR e da Pousada da Juventude vão ficar prontas antes do final da Braga CEJ?
5.       A reforma administrativa vai avançar, mesmo contra os autarcas e a população do município?
6.       O Sporting de Braga vai ganhar algum troféu na presente época desportiva?
7.       Quem vai ser o candidato do PS às autárquicas 2013, António Braga ou Vítor Sousa?
8.       O Recolhimento das Convertidas vai ser classificado pelo IGESPAR? 
9.       O Centro Comercial Dolce Vita vai ser enfim inaugurado?
10.   O projecto de instalação de um equipamento cultural na fábrica Confiança vai ser realidade?

O “museu da memória” desapareceu do Parque da Ponte

A terceira fase de recuperação do Parque da Ponte está já em fase de acabamentos. Qual não foi a minha surpresa (ou talvez não...) de perceber que o parque foi 'limpo' na quase totalidade das 'relíquias' dos monumentos desaparecidos de Braga, principalmente do Convento dos Remédios, do elegante Cruzeiro do Senhor da Saúde das Carvalheiras, mas também do antigo pórtico jónico do Salvador, monumentos desmantelados entre 1911 e 1914.
Talvez seja melhor esperar pelo final das obras para atestar o que vai acontecer, mas antes que aconteça qualquer desastre, esperando o adormecimento dos cidadãos, é melhor lançar o alerta. Curioso é que muitas pedras desapareceram, mas algumas continuam lá. Se as retiraram para catalogação, então deveriam ter levado tudo…
Cito alguns exemplos dos elementos desaparecidos:
  • os capiteis da igreja dos Remédios que circundavam a fonte do 'Diabo manquinho'
  • as colunas do cruzeiro do Senhor da Saúde, que rodeavam o largo do Coreto.
  •  A fonte barroca, de duas bicas, forrada a azulejos da antiga igreja dos Remédios, que estava localizada bem próxima do portão nascente do parque
  •  As armas franciscanas que encimavam a igreja, bem como outros elementos da fachada que serviam de bancos, e que estavam junto da antiga sede da associação de protecção do parque, junto a umas escadas que davam acesso à avenida Viriato Nunes e ao estádio 1.º de maio.
  • Muitas das pedras que serviam de assento eram de cantaria e provinham de muitos dos monumentos acima citados. Existia uma das pedras que ainda tinha a data da construção da igreja demolida dos Remédios: 'ANNO DOMINI MDCCXXV'. Ou seja, qualquer pedra removida daquele recinto tinha uma referência à memória da história monumental da cidade.

Seria uma grande perda para Braga o desaparecimento destes elementos arquitectónicos do seu passado. Poderiam figurar, no futuro, num eventual museu da Cidade.
Concordo que uma modernização deste espaço possa implicar a colocação de mobiliário urbano moderno e outro gosto na decoração do espaço, todavia considero que se pode manter num espaço determinado ou num recanto deste enorme recinto as pedras de cantaria e, eventualmente, uma explicação histórica com fotos dos monumentos aos quais pertenceram. Bastava umas pequenas placas… Tornaria o Parque da Ponte ainda mais interessante como espaço de lazer, mas também de cultura.
       
      Esperemos que voltem…ou sejam garantidamente colocados em lugar seguro.